segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Sorria, seja feliz! E tenha uma boa semana...





Fragmentos

Maisa Splendore Della Casa


Só conhecemos o todo, se entendemos os fragmentos que o constituem;
Fragmentos...pedaços de sentimentos, de coisas, de histórias, pedaços de alma, pedaços de nós...
Alguns escondidos, camuflados, para que não nos encontremos; outros, apenas acomodados sutilmente para proporcionar conforto a nossa identidade. Existem aqueles que se revelam com o cuidado de não expor sua essência, enquanto fragmento,
Alguns envergonhados de sua condição de estilhaço deixam de compreender a importância da totalidade de seu brilho próprio;
Alguns, ainda, no anonimato, esperam a hora de se diferenciar, de parar de estar ali apenas para complementar.
Penso ainda no fragmento livre, sem compromisso. Fragmento que goza da liberdade de estar casualmente presente, sem buscar demarcações, regras pré-definidas, conceitos. Goza do simples fato de existir. Caso não tenha destaque, não há problema. O que importa é compor o todo, o coletivo. O que importa é contribuir para uma figura verdadeiramente plena na sua estrutura multi-facetada, como nichos de um ecossistema, onde cada parte é unicamente importante e coletivamente essencial.
Conhece teus cacos, um por um, para entender o mosaico tão pleno e tão singular que compõe com maestria o desenho da tua história e da pluralidade da vida.



Sol Hoffmann